COVID-19: Como livrar o seu automóvel de elementos patogénicos?

Como livrar o seu automóvel de elementos patogénicos?

Perante a pandemia que nos aflige, poucos locais nos transmitem maior sensação de segurança e conforto como o automóvel. Sozinhos ou com a família mais próxima, tendemos a encarar o habitáculo de um veículo como um casulo que nos isola do mundo exterior. Mas não se deixe enganar, o problema não é só o automóvel em si, mas os vírus e germes que transportamos, ou que alguém transporta, para o interior.

Por isso é fundamental higienizar o habitáculo e todos os comandos, manípulos, cursores e botões mais utilizados diariamente, eliminando ou atenuando o risco de contaminação.

    • Vindos do exterior, já contatámos com inúmeras superfícies que foram tocadas por outras pessoas. A porta do prédio, a caixa do correio, o portão da garagem… São inúmeras as possíveis fontes de contágio. Aconselhamos que antes mesmo de aceder ao habitáculo desinfete as mãos e o respetivo puxador da porta. Apesar de a exposição aos elementos eliminar o vírus, ainda não está estabelecida a duração do mesmo nas diferentes superfícies.
    • Já no interior, comece por desinfetar todos os comandos principais: volante, manete da caixa e do travão de mão (ou o botão, se este for elétrico), manípulos das portas e botões ou comandos que use regularmente (luzes, autorrádio, climatização, etc…). Utilize uma solução à base de Isopropanol (um álcool), mas convém testar em algum local primeiro porque pode atacar algumas superfícies plásticas mais sensíveis.
    • Para os bancos (especialmente se forem em pele ou alcantara) e revestimentos, pode utilizar uma solução à base de água morna e sabão ou um produto específico para limpeza destas superfícies. No caso de ter vários a vários produtos industriais destinados a este fim.
    • Tenha atenção à quantidade de água e à sua utilização, evite sempre que esta possa acumular-se ou afetar os sistemas eletrónicos.
    • Evite todo o tipo de produto de limpeza à base de amoníaco porque o mesmo ataca os ecrãs sensíveis ao toque e os revestimentos anti dedadas e anti reflexo dos mostradores.
    • A água oxigenada também não é solução e a lixivia pode atacar e manchar os tecidos, além de deixar um odor desagradável e de produzir vapores que podem ser tóxicos, especialmente se combinados com outros produtos de limpeza.
    • Por fim, areje o automóvel
    • Após a higienização, não se esqueça de desinfetar ou lavar as mãos e o mesmo se aplica quando voltar a sair do automóvel

Mantenha-se seguro a si e aos seus. Este é um conselho da APDCA.